Câncer de próstata x queda de cabelos: 3 coisas que você precisa saber

Já estamos no final do mês, mas nunca é tarde para lembrar da campanha Novembro Azul, lançada pelo Ministério da Saúde e por tantas outras organizações para a conscientização do câncer de próstata. Infelizmente este problema ainda afeta muito os homens. Só neste ano, mais de 61 mil casos foram registrados segundo o Instituto Nacional do Câncer. Além disso, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens. Mas o que tudo isso tem a ver com os cabelos? Separamos 3 coisas que você precisa saber!

1. Queda de cabelos precoce pode ser um alerta
Sofrer com queda de cabelos não significa necessariamente que o homem tem uma doença como o câncer de próstata. Mas, quando os fios caem de forma excessiva isso pode ser um sinal. No universo das pesquisas nesta área, especialistas franceses já estudaram essa relação que foi publicada em 2011 na revista Annals of Oncology. No estudo, os médicos compararam 388 homens com tumor na próstata com 281 saudáveis. Uma das conclusões foi os homens que ficaram calvos antes dos 30 anos tiveram mais chance de desenvolver a doença. Agora, para os pacientes que se depararam com a calvície após os 40 anos, o risco foi muito menor. Associar a calvície aos hormônios androgênicos como o testosterona é comum e 50% do universo masculino pode desenvolver calvície em algum momento da vida, mas calma. Em caso de dúvidas, consultar o especialista certo faz a diferença.

2. Alopecia após quimioterapia: o que fazer?
Se você está em tratamento para o câncer de próstata, a perda dos cabelos é um efeito colateral comum. Isto porque apesar da quimioterapia ser muito eficaz na remoção das células cancerígenas, com as sessões muitas células responsáveis pelo crescimento dos fios também são eliminadas.
Neste momento, o passo mais importante é que você fique bem e realize todas as sessões com o oncologista. Claro que após um certo tempo, muitos pacientes querem reconstruir os fios e se perguntam se é possível fazer alguma coisa com a alopecia. Sim, é possível! O ideal, antes de tudo é fazer uma avaliação (marque aqui a sua – INSERIR LINK), pois somente este contato é que vai determinar qual o melhor tempo para pensar em uma tratamento e qual a melhor técnica para o seu caso.

3. Como funcionam os implantes e transplantes capilares após a quimioterapia?
Pegando gancho no tópico anterior, muita gente se pergunta se é seguro e possível fazer um transplante ou implante capilar após a quimioterapia. A resposta é positiva, mas antes de decidir o que pode dar certo para você, a avaliação é essencial. O implante capilar geralmente é indicado quando os efeitos da quimioterapia são muito fortes. Contudo, graças aos avanços na medicina capilar, este procedimento traz resultados tão naturais e eficazes. Já o transplante pode ser feito quando a queda de cabelo não é total. Na clínica do Dr. Thiago Bianco, as técnicas FUT e FUE são as utilizadas nestes dois tipos de tratamento, tanto para a regeneração dos folículos quanto para o crescimento de fios novos, mais fortes e saudáveis.

tricotilomania