3 diferenças entre transplante e implante capilar

Quando falamos de calvície muitas pessoas confundem o transplante com o implante capilar. Apesar das palavras serem parecidas, o significado e o tratamento são bem diferentes. A última pesquisa da Sociedade Internacional de Cirurgia de Restauração do Cabelo aponta que cerca de 1.055.480 pessoas do mundo inteiro passaram por algum tipo de restauração capilar em 2014. Com os anos, a procura por esses procedimentos para diferentes tipos de calvície só aumenta. Mas o que o implante tem de diferente do transplante? Qual será o tratamento mais adequado? Descubra 5 diferenças entre transplante e implante capilar!

1. Naturalidade x implante

No transplante capilar, os fios de cabelo são retirados de uma região do couro cabeludo (geralmente a nuca, como na técnica do FUE e FUT) para que sejam colocados na área da cabeça atingida pela calvície. Como a própria palavra transplante diz, esse tipo de procedimento é uma transferência que vai substituir ou compensar a área afetada pela falha dos cabelos. Já o implante capilar é diferente pois os fios são produzidos artificialmente e colocados na região calva. O tratamento mais adequado precisa ser alinhado com o especialista e com as expectativas do paciente, mas em geral, o transplante capilar é indicado para casos de calvície avançada e tem resultados naturais e duradouros se comparado ao implante.

2. Efeitos diferentes

O implante capilar pode apresentar resultados satisfatórios, porém não definitivos. Diferente desta técnica, as pessoas realizam o transplante continuam com os cabelos crescendo.

Outra diferença são as cicatrizes. Nos transplantes femininos e masculinos, há pequenas incisões, mas geralmente, com a cicatrização e o passar do tempo, as marcas ficam cobertas com o próprio couro cabeludo. Como o implante é artificial, o paciente pode ter cicatrizes e marcas um pouco mais aparentes, como por exemplo alguns “furinhos” na região calva.

3. Consistência dos fios e histórico do paciente é determinante

Tanto o implante e transplante capilar são opções válidas para homens e mulheres calvos. Mas é importante ter atenção na avaliação médica e na hora de escolher o tratamento adequado. Especialistas da Sociedade Internacional de Transplante Capilar alertam que o implante capilar e sua redistribuição pode causar a sensação que o cabelo natural está mais uniforme, mas o paciente não terá os fios crescendo. Por isso, quem tem fios grossos e fortes nas laterais e atrás da cabeça são os melhores candidatos. Tanto o transplante quanto o implante são realizados em sessões, dependendo do grau de calvície e da densidade do cabelo. Como há vários tipos de calvície segundo a escala de Norwood e Ludwig, é essencial escolher um especialista que domine as técnicas e tirar todas as dúvidas.

Leia também:
Medir a calvície ajuda? Conheça as escalas de Norwood e Ludwig
É calvície ou não? 3 sinais e soluções para cuidar do problema

transplante capilar