É calvície ou não? 3 sinais e soluções para cuidar do problema

O tom branco ou a perda dos cabelos é capaz de colocar muita gente de cabelo em pé. Cientificamente conhecida como Alopecia Androgenética, a popular calvície (masculina e feminina) é mais comum do que se imagina.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia Clínico Cirúrgica (SBDCC) 80% dos homens com até 70 anos ainda vão apresentar algum sinal de calvície. Já entre as mulheres, 40% também podem ser atingidas por esse problema em algum momento da vida.

Diante disso, quando saber se é calvície ou não? Confira 3 sinais e soluções para cuidar do problema!

1. As quedas e falhas são mais frequentes mas avaliar o contexto é fundamental;

Tanto entre as mulheres como entre os homens, as falhas no couro cabeludo podem ter origens genética, hormonal ou simplesmente ser uma consequência da idade (embora exista calvície precoce) e do estilo de vida. Então se você tem uma falha ou entradinha no cabelo, calma! Nem sempre isso quer dizer que é calvície. Caso o problema seja frequente e você note que aos poucos os fios de cabelo comecem a cair e as falhas fiquem maiores, é interessante procurar um especialista para avaliação sobre o seu caso. É muito importante lembrar que a queda de cabelo acontece por inúmeros motivos e perder alguns fios não quer dizer que você está ficando careca. Geralmente, os primeiros sinais podem aparecer entre os 17 e 25 anos. Não há regra e cada organismo é de um jeito, mas pessoas que já tem histórico familiar de calvície possuem mais chances de desenvolver o mesmo.

2. Queda progressiva, fios fracos e formatos variados

A calvície feminina e masculina possui diferenças, mas a fase de desenvolvimento da doença e tratamento é bem semelhante. Entre os homens, além das entradas na testa, a calvície forma a chamada “coroinha de padre” que é um círculo sem cabelos bem no alto da cabeça. Os fios continuam caindo e a calvície é capaz de cobrir o meio da cabeça fazendo com que os fios fiquem apenas nas laterais e na parte posterior. Já entre as mulheres, os fios caem também, mas não totalmente. As madeixas que ficam na frente permanecem. Porém, nestes casos todos os fios ficam fracos e mais finos, especialmente no topo da cabeça e nos casos mais avançados o couro cabeludo fica visível. Além de fatores genéticos e hormonais, produtos químicos e situações de estresse podem potencializar a calvície masculina e feminina também. Se o problema persiste uma avaliação médica é fundamental antes de qualquer diagnóstico.

3. Shampoos, cirurgias ou soluções estéticas? Tratamento adequado depende do grau de calvície e de avaliação médica!

Nos comerciais de TV ou em anúncios do Youtube não é raro encontrar um homem ou uma mulher com cabelos cheios de vida após o uso de um produto.

Muita gente acredita que os shampoos e cremes podem acabar com a calvície! No entanto, garantir resultados com qualquer método (seja o que for) requer cautela e avaliação de um especialista adequado. Na clínica do Dr. Thiago Bianco, os transplantes FUT, FUE ou cirurgias combinadas são opções para quem quer recuperar e preencher o couro cabeludo de forma personalizada, adequada e natural.
A cura dessa condição ainda é bastante discutível, mas em casos de calvície avançada uma ou mais sessões das técnicas de implante pode ser bem vantajosas!

transplante capilarcalvicie