Matéria do Dr. Thiago Bianco para o Portal Vírgula do UOL

Ostentar cílios volumosos e sobrancelhas perfeitas nunca esteve tão na moda!

As mulheres que não vivem sem rímel e curvex, e que carregam sempre uma pinça no nécessaire, estão realizando técnicas mais duradouras, como micropigmentação e alongamento, pensando na praticidade. Só que quem no passado pesou a mão na pinça e acabou perdendo os fios para sempre, ou viu os pelos desaparecerem por motivos de doenças diversas ou queimaduras, e que também não conseguiria obter resultados mais naturais com esses procedimentos, o implante cirúrgico nessas duas regiões do rosto pode ser uma boa opção.

Segundo um estudo realizado pelo International Society Of Hair Restoration Surgery (ISHRS), de 2012 a 2014, houve um aumento na casa de 90% na procura por transplante de cílios, e de 52% de transplante de sobrancelha em todo o mundo.

De acordo com o expert em implantes capilares, Dr. Thiago Bianco, a evolução da técnica cirúrgica em restauração dos fios permite o implante de cabelos em praticamente qualquer área do corpo. “Utilizamos as mesmas técnicas aplicadas ao couro cabeludo, no entanto, cada área implantada conta com características peculiares que irão exigir habilidades do cirurgião”, explicou.

No consultório do especialista ouvido pelo Virgula, a maioria dos pacientes que procura pelos procedimentos deseja cílios mais longos ou apresenta rarefação e até mesmo ausência de sobrancelhas.

Durante a cirurgia, o médico retira uma parte do couro cabeludo da nuca ou da lateral da cabeça, e escolhe somente as unidades foliculares que contém 1 fio. A equipe então prepara e separa os fios, um a um, e o cirurgião aplica as unidades com um implantador similar a uma caneta, obedecendo o ângulo e a direção correta do crescimento dos pelos.

Dr. Thiago Bianco garante que as cicatrizes ficam quase imperceptíveis, que os resultados são definitivos e não precisam de retoques.

Segundo Dr. Bianco, após a recuperação do pós-operatório, a taxa de crescimento dos pelos passa a ser, em média, de 1 cm ao mês. Com o passar dos anos, os fios começam a ter características da região de onde foram retirados, por isso, é preciso apará-los com maior frequência, porque eles passam a crescer mais rapidamente.

Continue lendo aqui

alfonso massaguertransplante capilar