Ginecomastia: um problema que merece respeito e atenção

Ginecomastia: um problema que merece respeito e atenção

A Ginecomastia é uma patologia nada engraçada que merece todo respeito e atenção. O problema pode se desenvolver por diversos motivos, mas principalmente pelo desregulamento do metabolismo masculino, ou seja, por uma diminuição na quantidade de testosterona em comparação com estrogênio que leva a proliferação do tecido da glândula mamária.

Tipo e causas da ginecomastia
Existem três tipos de ginecomastia, em graus variados de severidade, podendo ocorrer também excesso de pele. Dependendo do tipo, existe uma grande possibilidade de que a disfunção regrida naturalmente.

1- Disfunção comum ou verdadeira
Ocorre hiperplasia (aumento na quantidade de células) e/ou hipertrofia (aumento no tamanho das células já existentes) benignas das glândulas mamárias;

2- Pseudoginecomastia ou disfunção falsa
Ocorre somente o acúmulo de tecido adiposo (gordura) na área das mamas;

3- Disfunção mista
Ocorre tanto pela presença de tecido adiposo acumulado quanto pelo aumento das glândulas mamárias.

A ginecomastia é muito frequente em homens que tomam anabolizantes e esteróides, mas jovens na puberdade, homens em idade avançada e certas condições de saúde, incluindo problemas no fígado e doença renal, tireóide, tumores hormonalmente ativos e a síndrome de klinefelter*, são fatores de risco para o desenvolvimento da ginecomastia. Veja:

*Condição genética em que um homem nasce com uma cópia extra do cromossomo X.

1- Alterações hormonais
Para entender as alterações hormonais e o que elas acarretam é importante salientar que a testosterona é o hormônio responsável por controlar os traços masculinos, como pelos e massa muscular, e o estrogênio, controla os traços femininos, o crescimento dos seios, por exemplo. Ao contrário do que muitos pensam o estrogênio também é desenvolvido pelo organismo masculino, mas em menor escala quando tudo está funcionando corretamente. O que acontece quando a ginecomastia é causada por alterações naturais de hormônio é que o organismo diminui a quantidade de testosterona e aumenta a quantidade de estrogênio.
No nascimento grande parte dos meninos podem nascer com seios volumosos por conta do estrogênio herdado da mãe, mas o inchaço some rapidamente, dentro de duas ou três semanas . Na puberdade, a ginecomastia também é relativamente comum, devido às alterações de hormônios, mas desaparece sem tratamento em até dois anos. Na fase adulta pode atingir homens entre 50 e 69 anos de idade.

2- Medicamentos
Como dito anteriormente, homens que fazem uso de anabolizantes e esteroides são muito propensos a desenvolver a ginecomastia, mas outros medicamentos também podem acarretar o problema, como alguns remédios que combatem a ansiedade, anti-andrógenos utilizados para tratar o aumento da próstata, cancro da próstata e outras condições, antidepressivos, entre outros.

3- Uso de drogas
O uso de substâncias como anfetaminas, maconha, heroína e metadona, podem aumentar a chance do desenvolvimento da patologia.

4- Condições de saúde
Algumas condições de saúde podem ajudar a desencadear a ginecomastia: as alterações hormonais em pessoas idosas, especialmente em homens que estão com sobrepeso; condições que interferem com a produção normal de testosterona, tais como a síndrome de insuficiência pituitária ou de Klinefelter; tumores que envolvem testículos, glândulas supra-renais ou glândula pituitária, pode produzir hormonas que alteram o equilíbrio hormonal; hipertireoidismo; falência renal; insuficiência hepática e cirrose; e até mesmo desnutrição e fome, pois os níveis de testosterona caem e os níveis de estrogênio permanecem constantes, causando um desequilíbrio hormonal.

A cirurgia para remover o excesso de tecido mamário

A opção de intervenção cirúrgica para tratar a ginecomastia é uma decisão extremamente pessoal, mas antes da intervenção é necessária uma avaliação profissional para verificar se a cirurgia é recomendada.

Devido ao grande impacto que essa disfunção causa na confiança dos homens e também devido à simplicidade dos procedimentos, a cirurgia de ginecomastia não possui restrição etária. No entanto, para um paciente menor de idade é necessária a autorização dos responsáveis e também recomendado um acompanhamento psicológico complementar, anterior à cirurgia.

Existem hoje, duas opções de cirurgia de ginecomastia, que vão trazer de volta a autoestima para o homem, no entanto, a técnica será escolhida mediante a avaliação do cirurgião, levando em conta o tipo e o grau de ginecomastia, e o diagnóstico da causa subjacente à disfunção. No caso de ser uma consequência patológica, a doença que a originou deverá ser tratada antes do planejamento cirúrgico para a correção estética.

Lipoaspiração
Remove a gordura do peito, mas não o próprio tecido glandular mamário

Mastectomia
Remove o tecido glandular do peito. Essa cirurgia é muitas vezes feita via endoscópica, o que significa que são feitas apenas pequenas incisões, sendo uma cirurgia menos invasiva e com menos tempo de recuperação.

O paciente, após a consideração dos riscos e dos resultados esperados, deve se manter realista durante o pós-operatório e estar disposto a adaptar seu estilo de vida para obter os melhores resultados possíveis.

Escrito por: Dr. Thomas Benson

queda de cabelodr thiago bianco