Queda de cabelo na gravidez

Queda de cabelo na gravidez

A queda de cabelo ocorre em muitas gestantes, mas é quase uma regra no pós-parto. Devemos sempre reforçar que é comum, e reversível se atuarmos na prevenção. Há muitos fatores envolvidos na perda de fios e não surgimento de novos fios. Aqui falaremos destes fatores com o tratamento em seguida.

A carência de vitaminas e nutrientes é algo comum na gravidez e pós-parto. O feto retira nutrientes da gestante, e de mesma forma a lactante é “sugada” pelo bebê e se recupera da gravidez e parto, em um processo que consome a mamãe. Usualmente indicamos poli vitamínicos e ácido fólico para todas mulheres que estejam tentando engravidar e mantemos durante toda a gravidez e pós parto. De mesma maneira, checamos e reforçamos o estoque de ferro, vitamina D e complexo B nestes períodos, além do cálcio durante a amamentação. Uma nutricionista experiente tentará repor na alimentação, mas medicamentos orais ou endovenosos podem ser utilizados.

O banho hormonal durante a gravidez pode ter diferentes repercussões dependo de cada mulher. São muitos hormônios envolvidos, aumentando ou diminuindo conforme o período. A progesterona elevada pode deixar o cabelo mais bonito, grosso e volumoso em uma gestante, ou enfraquecido e seco em outra, da mesma forma a oleosidade do couro cabeludo pode variar conforme a predisposição de cada uma.

No pós-parto há uma redução destes hormônios, principalmente o estrógeno, refletindo em uma queda de cabelo acentuada que se inicia por volta de 1 a 3 meses depois do parto e melhorando após uns 6 meses.

A parte psicológica e psiquiátrica é muito subestimada, mas tem papel muito importante. A gravidez e parto podem ser momentos de muita felicidade, mas que também podem gerar quadros de grande stress e ansiedade. O período pós-parto é talvez o mais perigoso para o humor de uma mulher. O blues pós-parto (“tristeza”) é quase universal nas lactantes, e depressão é muito comum, e infelizmente muito pouco diagnostica e tratada. Nestas doenças a saúde desta mamãe é afetada como um todo, influenciando todos os órgãos, inclusive gerando queda de cabelo.

O apoio familiar, ginástica e o suporte de um bom psicólogo podem ajudar muito. Medicamentos como antidepressivos e ansiolíticos podem e devem ser utilizados se necessário, gerando uma melhora não só do humor, mas de todo corpo desta mamãe que tanto precisa estar 100%.

A própria queda de cabelo, que também é tida como besteira ou futilidade por muitos colegas, pode gerar muito stress e queda da autoestima.

Quebrar este ciclo desvirtuoso em que stress e queda de cabelo se retroalimentam é fundamental para a vinda de um bebê saudável e formação de uma linda família.

Grandes alterações de peso podem alterar hormônios, nutrientes, oleosidade do couro cabeludo e gerar stress. Assim, baseado no mencionado acima, as bruscas variações de peso para mais ou menos, devem ser evitadas. O ideal é uma gestante ganhar de 9 a 11 quilos durante toda a gravidez, concentrando este ganho principalmente nos últimos meses.

Shampoos e condicionadores anti-queda específicos com massagem capilar podem ajudar, assim como pentear o cabelo com cuidado para evitar arrancá-los se estiverem um pouco mais fracos.

Escrito por: Dr. Alfonso Massaguer

implante capilarginecomastia